BENEFÍCIOS FISCAIS PARA CONSTITUIÇÃO DE EMPRESAS BRASILEIRAS NO PARAGUAI.

ADVOCACIA PESCATORI GALENDI

Projeto de Expansão – Paraguai – Assunção – 13/07/2018 á 17/07/2018

BENEFÍCIOS FISCAIS PARA CONSTITUIÇÃO DE EMPRESAS BRASILEIRAS NO PARAGUAI

Objetivo

No Paraguai os fatores de produção são amplamente vantajosas ao industrial, tais como Imposto único apenas na saída do bem exportado, custo de energia 70% menor, tributação no salário 65% menor e ausência de tributação sobre a renda da indústria, contando com ofertas de uma infraestrutura competitiva e completa à apenas 11 km do Brasil, e isto em um ambiente político estável e favorável ao mercado, com uma economia em crescimento de 3,5% ao ano.

 

No curso além de abordar com profundidade todos os pontos relativos à constituição da empresa no Paraguai, serão abordadas as melhores estratégias para alcançar o mercado brasileiro, considerando a tributação e modalidades de importação no Brasil, incentivos estaduais, regimes especiais de distribuição e fechando o dia com uma planilha comparativa Brasil x Paraguai abordando toda a estratégia da palestra.

 

bandeira-do-brasil-oficial-300-x-200-g-i-g-a-n-t-e-d_nq_np_15662-mlb20105983342_062014-f

Público

O projeto de expansão é voltado para indústrias, distribuidores, prestadores de serviço e interessados no assunto que buscam melhorar a sua competitividade, e entender porque o Paraguai é considerado o 02º melhor país da América Latina para retorno de investimentos para as indústrias instaladas.

Também temos como foco principal escritórios de advocacia que possuem interesse na formalização de parceria em busca de oportunidades e expansão de negócios.

 bandeira20paraguai

DIFERENCIAL:

Nossa Especialidade em Negócios Internacionais

Visão e os benefícios gerados no Paraguai
– Procedimento para constituição de uma sociedade
– Sistema bancário adotado
– Vantagens oferecidas pelo Sistema Tributário
– Vantagens oferecidas pelo Sistema Trabalhista
– Logística de entrada e saída
– Zona Franca Industrial no Paraguai
– Comparativo entre: Maquila X Zona Franca do Paraguai
– Benefícios financeiros e tributários
– Made In Paraguai – Pré-requisitos e o certificado de origem 

O mercado Brasileiro
– Estratégias para variação cambial e o crédito internacional
– Formação dos impostos diretos na importação
– ICMS – Conceitos e marcos legais
– Incentivos estaduais, riscos e decisões jurídicas
– Modalidades de importação – Conta e Ordem/Encomenda
– Resolução 13 – ICMS de 4% para produtos importados
– Regime especial de distribuição no Brasil
– Como utilizar a Substituição Tributária como estratégias de vendas

Planilha de Custos – Comparativos entre o Paraguai e o Brasil

Regime especial em São Paulo

bandeira-brasil-300x200

ADVOGADO

DR. YVES PATRICK PESCATORI GALENDI, Advogado no Brasil, é formado em Direito pela Instituição Toledo de Ensino, Pós Graduado em Direito Civil e Processual Civil pela Universidade Anhanguera, Pós Graduado em Direito Previdenciário pela Universidade Anhanguera, Pós Graduando em Direito Penal e Processual Penal pela Escola Paulista de Direito – Faculdade Estácio e Pós Graduando em Direito do Trabalho e Processual do Trabalho pela Escola Paulista de Direito – Faculdade Estácio. Fluente em Inglês, Espanhol e Português. Autor de diversos sites e blogs jurídicos. Palestrante e Orientador Científico com diversos trabalhos e artigos acadêmicos..

Consulte-nos sobre agendamento de reuniões:
(14) 3354-0474
(14) 99742 7141 ou (14) 98209 0599

ou se preferir 

www.pescatorigalendi.com.br 

yves@pescatorigalendi.com.br

Realização Advocacia Pescatori Galendi
Escritório 1 – Rua Pinheiro Machado, 290 – Botucatu/SP
Escritório 2 – Rua Nove de Julho, 598 – Itatinga/SP
Uma firma internacional de negócios jurídicos e empresariais

Advertisements
Posted in Uncategorized | Tagged , , , , , , , , , , , , , , | Leave a comment

Escrevendo de acordo com as normas da ABNT: Principais dicas e orientações.

Prezados Colegas Advogados, Advogadas, amigos e leitores em geral!

O blog, “YVES PATRICK”, em constante crescimento, buscando prestar auxílio e o aprimoramento dos colegas Advogados e Advogadas, bem como, de todas as pessoas interessadas no Brasil e de todo o Mundo, traz em seu primeiro post de 2018, uma importante informação, a respeito das principais dicas e orientações para redigir um trabalho ou um texto dentro dos padrões e normas da ABNT.

Visite também:

WWW.OSADVOGADOS.NET

OSADVOGADOS2018

As dúvidas sobre formatação dentro das normas da ABNT são recorrentes no mundo acadêmico, seja no Âmbito de graduação ou pós graduação. Para quem verdadeiramente estuda, essa é uma questão que estará presente em todos os momentos da vida. Posso citar meu exemplo pessoal, onde só meu, já elaborei mais de 05 (cinco) Trabalhos de Conclusão de Curso, contando a graduação e mais as pós graduações. Essa é uma das lutas do nosso blog e deste editor, o Advogado Dr. Yves Patrick Pescatori Galendi, buscando garantir e incentivar os avanços no sentido dos estudantes e pesquisadores, propiciando fácil acesso as normas técnicas, não somente em nossas cidades, mas para todos os estados e para o Mundo em geral.

Caso tenha alguma dúvida, fique à vontade para perguntar.

Este blog é criado e atualizado pelo Dr. Yves Patrick Pescatori Galendi que é Advogado, Defensor Público Estadual (Convênio OAB/SP – Defensoria Pública/SP) e também Defensor Público Federal (Convênio AJG – Assistência Judiciária Gratuita).


Comentários Dr. Yves Patrick: Atuamos diariamente em Varas Federais, Estaduais e Tribunais Superiores nas mais variadas comarcas, com os mais variados assuntos. Desde mediação e arbitragem, direitos do consumidor, direito trabalhista, processos criminais (Contrabando, Tráfico Internacional, Descaminho e etc), processos cíveis, família e mais (execuções e etc). Caso tenha necessidade de outras peças processuais ou orientações, nos envie um e-mail: yves@pescatorigalendi.com.br

Você, colega de profissão, sabe a dificuldade do Processo Digital, por isso, não deixe de visitar nosso blog de PETICIONAMENTO ELETRÔNICO, pelo link: https://peticionamentoeletronico.wordpress.com/

Ah, quase me esqueço. Não perca essa lista com os 10 melhores blogs informativos dos do WordPress (Consumidor, Deficientes, Defesa da Mulher, Família Carcerária, Contos e casos e muito mais: http://bit.ly/2dZIwlS

Seguimos juntos nessa luta, que se pode ser vencida, unidos!

Um forte abraço!

Dr. Yves Patrick Pescatori Galendi

Advogado Pós Graduado em Direito Civil – Família e Pós Graduado em Direito Previdenciário pela Universidade Anhanguera.

Advogado Pós Graduando em Direito Penal e Criminologia e Pós Graduando em Direito Trabalhista pela Escola Paulista de Direito – Faculdade Estácio.

yves@pescatorigalendi.com.br

+55 (14) 99742 6141 (vivo/whats)

+55 (14) 98209 0599 (tim)

 

ABNT.jpg

Para a elaboração dos trabalhos acadêmicos devem ser observadas duas questões fundamentais:

1) Se o trabalho obedece às normas da ABNT (em especial para citação dos autores e referência aos livros/artigos usados no trabalho)

2) Se todos os parágrafos foram creditados aos autores da idéia neles reproduzidas.

Esta questão é muito importante e devemos lembrar que o plágio é crime contra a propriedade intelectual!!!

No Código Penal em vigor, no Título sobre Crimes Contra a Propriedade Intelectual, há a previsão de crime de violação de direito autoral, diz o artigo Artigo 184: “Violar direito autoral: Pena – detenção, de 3 (três) meses a 1 (um) ano, ou multa”.

Portanto, a cópia de internet de trechos ou do total de sites que caracterizarem “copiar e colar” é considerada plágio e o trabalhos poderão ser desqualificados.

Como destacado, deve ser dada atenção especial às referências aos autores no padrão da ABNT nas atividades a serem entregues, não só para esta disciplina, mas em todos os trabalhos acadêmicos que realizarem.

Além de seguirmos as regras da ABNT, a questão da violação de direitos autorais através de plágio na internet é muito séria… Apesar da facilidade de alcance de informações com a popularização da internet e a democratização ao acesso à informação, não se pode negar que seja essa uma importante fonte de informações. Mas deve-se ter muito cuidado com o chamado e reprovável “recorta e cola”!!!

Os princípios de elaboração de um texto inovador e original não podem ser esquecidos ou ceder ao plágio, que pode estar no texto de forma explícita ou dissimulada, revestido de sutilezas.

O aluno deve ser consciente e ter convicção que o verdadeiro conhecimento decorre sempre da ética, nunca cedendo ao plágio, o qual, além de um ato ilícito civilmente, recobre-se de reprovação moral.

Dicas para um bom trabalho

Para evitar a situação que caracteriza plágio, o ideal é fazer referência aos livros e artigos utilizados, ou seja, ao escrever as idéias do autor com suas próprias palavras no trabalho, não deixar de menciona-lo no seu texto, atribuindo-lhe a devida autoria.

A melhor forma de realizar um trabalho capaz de demonstrar todo o potencial e capacidade criativa de vocês, é bem simples:

Observar as normas da ABNT para referências (diretas e indiretas), com a devida indicação de autoria (nome do autor, ano de publicação do livro e página).

Não deixar um parágrafo com conteúdo sem referência! Qualquer definição, conceito, argumentação ou equação matemática que forem citados na fundamentação teórica deverá necessariamente ter uma fonte como referência.

A seguir, um resumo das normas da ABNT para apresentação gráfica e apresentação das citações.

Apresentação gráfica (NBR 14724:2005)

O estilo gráfico é de total responsabilidade do autor do trabalho, que deve seguir as normas da ABNT.

– Os textos devem ser apresentados em papel branco, formato A4 (21 cm x 29,7cm), impresso somente de um lado da folha (anverso)

– A cor da fonte deve ser preta (com exceção das ilustrações)

Uso das fontes

a) fonte: “Times New Roman”, “Arial” ou “Verdana”

b) título da capa e folha de rosto: fontes de 14 a 18

c) corpo do texto: fonte 12

d) título da seção ou capítulo: fonte 14

e) subtítulo: fonte 12

f) nota de rodapé: fonte 10

g) fonte bibliográfica de ilustrações e tabelas: fonte 10

h) títulos de ilustrações e tabelas: fonte 11 negritado

i) citações longas: fonte 10.

– Número de página: a paginação deve constar no canto superior direito.

– Espaço 1,5 entrelinhas, (pode apresentar 6 pt antes e 6 pt depois).

– Exceções: Serão digitados em espaçamento simples as citações de mais de três linhas, as notas de rodapé, as referências e as legendas das ilustrações/tabelas.

– Os títulos das subseções devem ser separados do texto que os precede ou que os sucede por dois espaços 1,5.

– Recuo na primeira linha do parágrafo em 2,0 cm, ou seja, os parágrafos iniciam-se oito espaços para dentro em relação à margem esquerda.

– Texto justificado à direita

– Margens: a) Esquerda e Superior = 3,0 cm; b) Direita e Inferior = 2,0 cm

– Os títulos dos capítulos podem constar em letras maiúsculas, em negrito e nº 14.

– Os subtítulos devem estar em letras minúsculas (só a primeira em maiúscula) e em negrito

 

– Citações textuais com mais de 3 linhas: Recuo de 4,0 cm da margem esquerda, justificado, espaço simples, letra nº 10.

– Referências devem estar completas: AUTOR; Obra, Edição, Cidade, Editora e Ano.

– As referências devem estar em ordem alfabética pelo sobrenome do autor.

– Escolher um único sistema para fazer as referências no corpo do texto: Sistema Autor-data ou Notas de Rodapé de Referências.

– Numeração: Todas as folhas a partir da folha de rosto devem ser contadas, porém não numeradas. A numeração dever ser indicada a partir da INTRODUÇÃO, no canto superior direito.

– Abreviaturas e siglas: Quando aparecem pela primeira vez no texto, deve-se colocar seu nome por extenso, acrescentando-se a sigla entre parênteses.

– As siglas que fazem parte do texto da monografia devem aparecer na primeira ocorrência, com a indicação do nome completo por extenso, seguido da sigla entre parênteses. A partir da segunda ocorrência, usar somente a sigla.

– Os capítulos devem sempre ser iniciados numa nova página mesmo que sobre espaço suficiente na página que termina o capítulo anterior, situando-se os títulos de forma centralizada na folha e numerados em algarismos romanos: Capítulo I.

– Os subtítulos e subdivisões são escritos de forma homogênea que os realcem devidamente; os espaços que os separam dos textos são maiores e proporcionais; são também numerados conforme a técnica dos números pontuados: 2.1, 2.1.1 etc. Não precisam iniciar-se em nova página.

– Para especificar tópicos no interior destas subdivisões usam-se algarismos ou letras, fechados em meio-parênteses: 1) a) etc., evitando exageros com a formação de séries de números pontuados muito longas.

OSADVOGADOS2018-2

Apresentação das citações (NBR 10520:2002)

O autor deverá escolher qual o tipo de chamada usará, sendo que os estilos não devem ser misturados:

  • Autor-data: quando a chamada para a citação é feita pelo sobrenome do autor e a data de publicação
  • Numérico ou sistema nota de rodapé: quando a chamada é feita pelo número correspondente na lista de referências bibliográficas, previamente alfabetada.

A citação é uma menção, no texto, de uma informação colhida em documentos pesquisados. A sua função consiste em sustentar o raciocínio do autor no decorrer do trabalho, tem por finalidade, exemplificar, esclarecer, confirmar, documentar, ilustrar e sustentar, etc. Em outras palavras, são trechos de obras de outros autores inseridos ao longo do texto que conferem maior confiabilidade ao trabalho, esclarecendo ou complementando o que esta sendo apresentado.

As citações podem ser: diretas (textuais) ou indiretas (livres).

As diretas consistem em uma transcrição exata de parte da obra do autor consultado. É reproduzida entre aspas duplas exatamente como consta do original, acompanhadas de informações sobre a fonte, com indicação da página.

Quando até três linhas são inseridas no texto, entre aspas. Exemplo:

“No Brasil, o estudo profissionalizante inibe o acesso à universidade”. (FERRAZ, 1995, p.20).

Quando mais de três linhas, devem constituir um parágrafo independente, recuo 4 cm da margem esquerda (deslocamento da citação), com tamanho de letra menor do que o utilizado no texto e com o espaçamento simples entre linhas, dispensando as aspas, nesse caso. Exemplo:

A teleconferência permite ao indivíduo participar de um encontro nacional ou regional sem a necessidade de deixar seu local de origem. Dentre os tipos comuns de teleconferência e que merecem destaque nos tempos atuais está o uso da televisão, telefone e computador. (NICHOLS, 1993, p. 181).

As indiretas consistem no texto baseado na obra do autor consultado. Conhecida também como citação em síntese, são livres de aspas, devendo traduzir com fidelidade o sentido do texto original. Exemplo:

Como lembra Martins (1984), o futuro desenvolvimento da informação está cada dia mais dependente de um plano unificado de normalização.

ou:

O futuro desenvolvimento da informação está cada dia mais dependente de um plano unificado de normalização (MARTINS, 1984).

Citação de citação

É a transcrição de uma citação existente em uma obra consultada. Só deverá ser feita quando for impossível consultar a obra que contém o texto original da citação e deve ser destacada por aspas simples.

– No texto: Citar o sobrenome do autor do documento não consultado, seguido das expressões: citado por ou apud, e o sobrenome do autor do documento efetivamente consultado. Exemplo:

Marinho¹ (citado por Marconi e Lakatos, 1982), apresenta a formulação do problema como uma fase de pesquisa que, sendo bem delimitado, simplifica e facilita a maneira de conduzir a investigação.

– No rodapé: Mencionar os dados do documento original (não lido). Esta referência não fará parte da lista no final do trabalho com indicação da bibliografia e sim o autor lido que fez esta menção.Exemplo:

__________________

¹ MARINHO, Pedro. A pesquisa em ciências humanas. Petrópolis Vozes, 1980.

Apresentação das referências (NBR 6023:2002)

  • Livro no todo

AUTOR(es)//Título:/subtítulo (se houver).//Indicação de responsabilidade se houver).//Edição.//Local:/Editora,/Ano.//Dados complementares (características físicas, Coleção, notas e ISBN)

Exemplo – 1 autor:

MARION, J. C. Contabilidade básica – caderno de exercícios. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2005.

Exemplo – 2 autores:

BERNARDES, C.; MARCONDES, R. C. Sociologia aplicada à administração. 6. ed. São Paulo: Saraiva, 2005.

Exemplo – 3 autores:

BIDERMAN, C.; COZAC, L. F. L.; REGO, J. M. Conversas com economistas brasileiros. 2.ed. São Paulo: Ed. 34, 1997.

Exemplo – Mais de 03 autores (nestes casos, acrescenta-se a expressão et al, após o primeiro autor):

SLACK, N. et al. Administração da produção. São Paulo: Atlas, 1997

Exemplo – Nome composto

VEIGA FILHO, Manoel. Tratado de Economia do Trabalho. Lisboa: Limiar, 1987.

  • Monografias, Teses e Dissertações

CARTONI, D. M. Organização do trabalho e gestão da inovação : estudo de caso numa industria petroquÍmica brasileira. 2002. 142f. Dissertação (Mestrado em Política Científica e Tecnológica) – Instituto de Geociência, Universidade de Campinas, Campinas/SP.

  • Manual e Relatório

BRASÍLIA. Ministério da Fazenda. Secretaria do Tesouro Nacional. Sistema integrado de administração financeira do governo federal. Brasília, 1996. 162 p. (Manual SIAF, 5).

  • Parte de monografia

AUTOR(es).//Título:/subtítulo da parte(se houver).//In:/Referência completa da monografia no todo.//informar ao final a paginação correspondente à parte.

Capítulo de livro

LEITE, Eduardo de Oliveira. A família monoparental como entidade familiar. In: Teresa Arruda Alvim (coord). Repertório de Jurisprudência e Doutrina sobre Direito da Família. São Paulo: Revista dos Tribunais, 1995, p 44-70.

  • Informações retiradas da Internet

AUTOR(es).//Título:/subtítulo da parte ou do todo .//Edição.//Local:/Editora, /Data.//Descrição física do meio ou suporte.

No caso de documentos online, apresentar a URL entre os sinais <> precedido da expressão “Disponível em:” finalizando com a data de acesso como mostra o exemplo abaixo.

ENCICLOPÉDIA da música brasileira. São Paulo, 1998. Disponível em: <http://www.uol.com.br/encmusical/&gt;. Acesso em: 16 ago. 2001.

Exemplo – Artigos de Periódicos (On-line)

MALOFF, Joel. A internet e o valor da “internetização”. Ciência da Informação, Brasília, v. 26, n. 3, 1997. Disponível em: <http://www.ibict.br/cionline/&gt;. Acesso em: 18 maio 1998.

Exemplo – Artigos de Jornais (On-line)

TAVES, Rodrigo França. Ministério corta pagamento de 46,5 mil professores. Globo, Rio de Janeiro, 19 maio 1998. Disponível em:<http://www.oglobo.com.br/&gt;. Acesso em: 19 maio de 1998.

  • Publicação periódica

TÍTULO.//Local de publicação:/Editora,/Data de ínicio da coleção e encerramento (quando houver).//Periodicidade.//ISSN.

REVISTA BRASILEIRA DE ECONOMIA. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 1947- . Trimestral. ISSN 0034-7140.

  • Parte de publicação periódica

AUTOR(es).//Título do artigo:/subtítulo quando houver.//Título da publicação.//volume, número,/página inicial e final do artigo.//Data de publicação

REZENDE, C. S.; REZENDE, W. W. Intoxicações exógenas. Revista Brasileira de Medicina . v. 59, n. 1/2, p. 17-25. jan./fev. 2002.

  • Autor entidade coletiva (associações, empresas, instituições)

Exemplo:

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. Instituto Astronômico e Geográfico. Anuário astronômico. São Paulo, 1988. 279 p.

BIBLIOTECA NACIONAL (Brasil). Bibliografia do folclore brasileiro. Rio de Janeiro: Divisão de Publicações, 1971.

  • Leis e Decretos

Nome do País (Estado ou município). Título e nº. Data do documento legislativo. Ementa. Publicação (para divulgação)

BRASIL. Decreto n. 76.924, de dezembro de 1975. Regulamenta a concessão de que trata o art. 5º da Lei n. 6.128, de 11 de agosto de 1974, que dispõe sobre as Autarquias Federais de Serviço Social da União e dá outras providências. Diário Oficial, Brasília, 29 de dezembro de 1975, p. 47.

  • Trabalhos apresentados em congressos

SILVEIRA, Ruth Garcia. Gestão financeira e técnicas de análise de risco. In.: ENCONTRO NACIONAL DE FINANÇAS APLICADAS, 12, 2001, Fortaleza. Anais do 12o. Encontro Nacional de Finanças Aplicadas. Fortaleza, ANE, 2001.

  • Artigos em periódicos

AUTOR. Artigo. Revista. Local: Editora, volume, número, página, data e ano.

BUARQUE, C. Uma revolução no ensino. Revista Ensino Superior, São Paulo, ano 5, n. 59, p. 30-34, ago. 2003.

Sem autoria

RESPONSABILIDADE e sensatez. Conjuntura Econômica, Rio de Janeiro, v. 57, n. 1, p. 6-9, jan. 2004.

Fonte: http://www.administradores.com.br/artigos/economia-e-financas/dicas-para-escrever-trabalhos-academicos-segundo-a-abnt/54407/

Posted in Uncategorized | Tagged , , , , , , , | Leave a comment

EM NOME DO ESPÍRITO DE JUSTIÇA: CARTAS ABERTAS DE DALTON ROSADO E CELSO LUNGARETTI À ADVOGADA GERAL DA UNIÃO – AGU

CRIADO E ATUALIZADO PELO ADVOGADO
DR. YVES PATRICK PESCATORI GALENDI
OAB/SP 316.599

Prezados Leitores, amigos e toda a sociedade…

É para vocês que escrevemos. Vocês possuem um lugar especial no mundo. Acreditem, que sempre existirá alguém que se importa com um irmão ou uma irmã. Até Paulo e Silas foram presos. Sempre haverá uma luz no fim do túnel, uma oportunidade de recomeçar. Quem faz o bem, ah… esse não erra.

Neste post, compartilhamos com Vossas Excelências, a história de um grande guerreiro da época da ditadura militar. Sinceramente, eu se quer era nascido aquele tempo, no entanto, tenho grande e verdadeira admiração por esses heróis que batalharam pelo meu, pelo seu futuro. Em assim sendo, não posso deixar de compartilhar com vocês a história de um desses guerreiros, o Ilustre Senhor Celso Lungaretti, a qual vou relatar no post abaixo.

Ah, não deixe de visitar nossos outros sites:

www.liberdadeparatodos.com

www.osadvogados.wordpress.com

Qualquer dúvida deixe nos comentários. Se você teve a chance de conhecer esse site http://www.liberdadeparatodos.com indique a um amigo ou a outro familiar, pois muitas informações voltadas para a família carcerária são encontradas e de fácil acesso.

Um grande abraço a todos os guerreiros e guerreiras da ditadura militar e contem sempre conosco nessa luta. Dr. Yves Patrick Pescatori Galendi (advogado), Victória Nívea Pescatori Vigliazzi (estagiária de direito), Ana Lúcia Granciero (estagiária de direito) e Vera Lucia Aguillar de Biasi (estagiária de direito).

Celso Lugaretti e Dalton Rosado – Heróis da Ditadura – Carta Aberta a Advocacia Geral da União – AGU – em busca de resposta e esclarecimentos referente a Processo Judicial

DITADURA.jpg

Ilma. Sra.

Grace Maria Fernandes Mendonça

Advogada Geral da União

Brasília – DF

Prezada senhora,

em 1970, aos 19 anos de idade, tive meus direitos humanos e civis duramente atingidos pelo arbítrio que se estabelecera no País: quase morri sob torturas; meu tímpano foi estourado, o que me causou perda de audição e labirintose pelo resto da vida; e fui coagido, em circunstâncias extremas, a uma exposição negativa que me tornou alvo de estigmatização pelas décadas seguintes, colocando-me em grande desvantagem na carreira profissional e afetando meu convívio social.

Já lá se vão 47 anos que ocorreram os fatos geradores de tais lesões aos meus direitos; e, mesmo assim, continuo à espera de receber integralmente a reparação que o Estado brasileiro me concedeu, por meio de portaria do ministro da Justiça, em outubro de 2005.

Isto se deve a uma postura simplesmente inexplicável e injustificável da Advocacia Geral da União, que tem me combatido como um inimigo a quem lhe coubesse ou derrotar, ou (adiando indefinidamente o desfecho da pendência) levar ao amargor e ao desespero.

Isto porque as normas da Comissão de Anistia do Ministério da Justiça estabeleciam que, quando houvesse indenização retroativa a ser paga, a União deveria fazê-lo no prazo de 60 dias.

Após esperar em vão durante 15 meses, entrei com mandado de segurança no Superior Tribunal de Justiça (0022638-94.2007.3.00.0000) e a AGU, no exercício de suas atribuições, o contestou, embora fosse a chamada missão impossível: o débito já fora assumido pela União e as condições em que deveria ser honrado estavam definidas com total clareza. 

Não obstante, a União primeiramente o ignorou de forma olímpica, depois impôs aos credores um pagamento em parcelas mensais (que deveriam ser zeradas até o último dia de 2014) altamente desvantajoso e até humilhante, pois não se tratava de uma esmola pela qual devêssemos mostrar humilde gratidão, mas sim da penitência de um Estado que se prostrou durante duas décadas a tiranos, deixando-nos entregues a carniceiros e permitindo que nossas vidas fossem feitas em frangalhos.

A grande maioria dos anistiados (muitos milhares), temendo retaliações, condescendeu. Sobraram umas poucas dezenas que insistiram em ver respeitado seu pleno direito. Eu mantive o mandado de segurança que já estava tramitando e acabei sendo mesmo extremamente retaliado: meu processo se tornaria uma história sem fim, como consequência da conduta da AGU (além, é claro, da lerdeza característica da Justiça brasileira). 

O julgamento do mérito da questão só ocorreria quatro anos depois, em 23/02/2011, quando todos os ministros concederam a segurança, acompanhando o voto do relator Luiz Fux.

A AGU, no entanto, insistiu em tentativas de mudar a decisão, sem reais possibilidades de êxito, como se evidenciou nos julgamentos que elas suscitaram: em 26/11/2014 e 08/04/2015, meu direito foi confirmado, sempre por unanimidade.

Finalmente, por meio de recurso extraordinário, a AGU conseguiu que o desfecho do meu processo individual no STJ, iniciado em fevereiro/2007, fosse colocado na dependência da decisão de um processo coletivo  (2007/99245) que tramitava paralelamente no Supremo Tribunal Federal desde junho de 2007. Isto somente serviu para alongar minha agonia, pois, de um lado, a ata do julgamento no qual o STF fixou a tese, no final do último mês de novembro, dá uma boa ideia do que se pode esperar do acordão e da sentença, quando finalmente for batido o martelo:

1) Reconhecido o direito à anistia política, a falta de cumprimento de requisição ou determinação de providências por parte da União, por intermédio do órgão competente, no prazo previsto nos arts. 12, § 4º, e 18, caput e parágrafo único, da Lei nº 10.599/02, caracteriza ilegalidade e violação de direito líquido e certo;  

2) Havendo rubricas no orçamento destinadas ao pagamento das indenizações devidas aos anistiados políticos e não demonstrada a ausência de disponibilidade de caixa, União há de promover o pagamento do valor ao anistiado no prazo de 60 dias… 

De outra parte, a extrema lentidão com que as etapas vão sendo transpostas fazem da Justiça da democracia um prolongamento da tortura da ditadura! 

Não relatarei, para não soar piegas, todo o padecimento que causou, a mim e a meus dependentes, uma duração tão aberrante em se tratando de um mandado de segurança. 

Mas, devo enfatizar a extrema desigualdade de forças entre um cidadão que luta por seu direito líquido e certo e a equipe de eminentes juristas que, a serviço da União, utilizou todo seu arsenal jurídico para protelar o desfecho mais do que óbvio; o despropósito em haver sido dada continuidade à batalha legal mesmo depois de os anistiados que concordaram com o parcelamento terem seus débitos zerados, o que caracteriza a imposição de tratamento desigual a iguais; e o próprio fato de que, em todos os procedimentos jurídicos, não tem sido levada em conta a prioridade que a Lei concede aos idosos (deveríamos ser poupados do estresse causado por duração tão excessiva de um processo, com risco até de morrermos antes de vê-lo finalizado).

Em nome do espírito de Justiça que deve também nortear a atuação da AGU e levando em conta que os encaminhamentos relatados ocorreram antes de sua ascensão a Advogada Geral, faço-lhe um apelo: tome as providências ao seu alcance para abreviar o meu sofrimento. que já durou muito mais do que deveria.

Nosso maior patrimônio, que perdura após nossa passagem pela vida, é a imagem e o exemplo que legamos aos pósteros. Tenho a esperança de que, entre omitir-se face à injustiça ou acudir um injustiçado, a Sra. tomará a decisão correta.

Respeitosamente,

CELSO LUNGARETTI 

Celso Lungaretti <lungaretti@gmail.com>

Posted in Uncategorized | Leave a comment

50 dicas para aprender como economizar dinheiro

50 dicas para aprender como economizar dinheiro

DICASECONOMIZARVocê até tenta, mas quando chega no fim do mês conclui, mais uma vez, que não sabe como economizar dinheiro?

Matéria selecionada pelo Dr. Yves Patrick Pescatori Galendi – Advogado, Palestrante, Orientador Científico e Produtor de Textos. Nascido para quebrar paradigmas. Movido por suas ideologias e desafios.

Sabemos que essa é uma tarefa difícil, mas a boa notícia é que ela pode se tornar um pouco mais fácil com essa lista supercompleta com 50 dicas detalhadas que o GuiaBolso preparou especialmente para te ajudar a gastar menos.

As dicas estão divididas em três grandes categorias (“Organize-se“, “Olhe para sua renda” e “Diminua seus gastos“), que, juntas, reúnem todos os passos básicos para quem está querendo reorganizar o orçamento e conseguir, de uma vez por todas, assumir o controle das suas finanças.

Confira:

Como economizar dinheiro?
Organize-se!

como economizar dinheiro 1

1. Registre todas as suas despesas:

Como você pretende controlar suas finanças se você não sabe exatamente o quanto gasta por mês? Este é o primeiro passo para quem quer começar a fazer seu controle financeiro. Para ajudar nesta tarefa, você tem duas opções:

1. Guardar todas as notinhas do cartão e anotar cada uma das suas despesas em uma planilha de gastos; ou

2. Escolher uma ferramenta de controle financeiro como o GuiaBolso, que puxa todas as suas movimentações bancárias automaticamente em menos de dois minutos.

Leia mais: Planilha no Excel ou controle financeiro online? O que é melhor?

2. Crie metas para seus gastos:

Agora que você já sabe exatamente qual o seu custo mensal, é necessário criar metas para suas despesas, dividindo-as por categorias:

– 50% da renda para os gastos essenciais: todos aqueles necessários para você se manter no dia-a-dia: moradia, alimentação, transporte, educação, etc.

– 15% da renda para prioridades financeiras: se você estiver endividado, sua prioridade será quitar as dívidas. Se não, poupar para o futuro.

– 35% da renda para estilo de vida: todos os gastos relacionados a hobbies e lazer: academia, salão de beleza, compras no shopping, etc.

Nas próximas dicas, você encontrará sugestões para reduzir cada uma dessas categorias de despesas.

Leia mais: Você conhece a regra dos 50-15-35?

3. Despesas para cima, renda para baixo:

Na hora em que estiver criando as metas para seu orçamento, arredonde sempre as despesas para cima e a renda para baixo. Afinal, sua avó já dizia: é sempre melhor sobrar do que faltar.

4. Pague suas contas no mesmo dia:

Mude a data de vencimento de todas as suas contas fixas para logo após o dia em que cai o seu salário. Assim fica bem mais fácil se organizar. O dinheiro entra, você já paga tudo o que deve e fica na conta apenas com o dinheiro necessário para passar o mês.

5. Crie prazos para seus objetivos:

Você quer quitar suas dívidas? Até quando? Quer juntar dinheiro para comprar um carro? Daqui a quanto tempo? Quando as metas têm data ficamos mais motivados para cumpri-las no prazo.

 

6. Fale sobre dinheiro em família:

Se você é casado, o tema finanças deve fazer parte do dia-a-dia do casal. Se tem filhos, o mesmo vale para a família. Transparência e sinceridade são os caminhos mais fáceis para conseguir reorganizar as finanças familiares.

 

Como economizar dinheiro?
Olhe para sua renda!

como economizar dinheiro 2

7. Busque outras fontes de renda:

Para que ficar dependendo apenas do seu salário, quando você pode distribuir os ovos em várias caixinhas? Já pensou em pegar um trabalho freelancer para fazer à noite ou nos fins de semana? Ou então, que tal transformar um hobby (costurar, pintar, cozinhar) em uma nova fonte de renda?

8. Previna-se se sua renda for variável:

Profissionais autônomos e liberais costumam ter dificuldade em planejar sua renda mensal, que varia bastante. A dica é olhar para os últimos 12 meses e identificar a renda máxima, a mínima, a média e a sazonalidade (os meses em que você costuma ganhar mais e menos).

De preferência, os gastos essenciais para o dia-a-dia devem caber na renda mínima. Nos meses em que ganhar acima da média, mande a diferença para a poupança.

Exemplo: renda mínima de R$ 3 mil, renda máxima de R$ 5 mil e renda média de R$ 4 mil. No mês em que você ganhar R$ 4,5 mil, deve enviar R$ 500 para a poupança.

Como economizar dinheiro?
Diminua seus gastos!

como economizar dinheiro 3

estilo de vida1º passo: Repensar seu estilo de vida

itemCOMPRAS:

9. Dê férias ao cartão de crédito:

O grande problema do cartão de crédito é nos dar a falsa impressão de que temos uma renda maior do que na realidade. Dessa forma, uma boa estratégia para quem está aprendendo como economizar dinheiro é tirar o cartão de crédito da carteira por alguns meses e pagar tudo à visa.

10. Vá fazer compras com dinheiro vivo:

Outra dica infalível para quem não quer gastar mais do que o planejado no supermercado ou no shopping é ir fazer compras com o dinheiro contado na carteira. Assim nos preocupamos mais em saber quanto estamos gastando e caso o valor final ultrapasse nossa meta, seremos obrigados a deixar algumas coisas na prateleira.

11. Pare de se consolar com compras:

Depois de uma semana difícil de trabalho, é muito comum cedermos a um impulso de consumo com o pensamento “eu mereço comprar isso”. A questão, entretanto, não é de merecimento. É claro que você merece, afinal, você trabalhou duro, mas a questão nessa situação é priorizar (ou não) seus objetivos financeiros. Seja firme!

12. Compre em lojas de departamento…

Por que você faz tanta questão de comprar roupas de marca? Você já experimentou comprar, pelo menos as peças básicas, em lojas de departamento? Os preços são bem mais convidativos.

13. …mas compre também algumas peças de qualidade:

Entretanto, é importante também gastar um pouco mais em algumas peças de melhor qualidade, que duram mais. O barato muitas vezes sai caro. O segredo é equilibrar algumas compras nas lojas de departamento e outras, que valham mais a pena, em lojas que ofereçam produtos mais caros, desde que sejam mesmo de melhor qualidade.

14. Utilize os programas de recompensa do cartão de crédito:

A essa altura do campeonato, você já deve ter dado umas férias para o seu cartão de crédito, mas se você realmente abusou dele nos últimos meses, o lado positivo é poder colher os frutos agora.

Confira o número de pontos acumulados no programa de recompensas vinculados ao seu cartão. Você pode encontrar no catálogo algum produto de que esteja precisando e, ao resgatar os pontos, não precisará gastar com isso.

15. Peça mais coisas emprestadas:

Quantas vezes no ano você usa uma furadeira? E um vestido longo de festa? É preciso mudar a cultura de que precisamos ter tudo. Em vez de comprar, por que não emprestar essas coisas do vizinho ou de uma amiga?

Veja mais: Você sabia que nos EUA existe uma rede social para facilitar o empréstimo entre os vizinhos?

16. Doe o que não usa mais:

Além de ser um bonito gesto de desapego, quando você doa o que não usa mais, fica mais fácil de saber o que você tem e o que não tem. Aí, quando você sentir vontade de comprar algo, é só verificar se você realmente precisa daquilo ou se você já tem uma peça parecida que passava despercebida no fundo do guarda-roupa.

Veja mais: Conheça a rede social brasileira que facilita a doação de coisas que você não usa mais.

17. Antes de comprar, avalie se não vale a pena consertar:

Quando um eletrodoméstico quebra ou uma roupa de que você gostava não serve mais, você sai correndo para o shopping? Da próxima vez, reavalie a necessidade de ter uma coisa nova. Muitas vezes consertar sai mais barato.

18. Não abra e-mails de ofertas:

Nossas caixas de e-mail estão cada vez mais lotadas de “oportunidades imperdíveis” de lojas online. Não consegue se controlar à tentação de uma boa promoção? Então, corte o mal pela raiz e não dê mais chance para ela. Não abra mais e-mails marketing e deixe de pegar catálogos de lojas.

Veja mais: Quer se descadastrar de uma vez só de todo SPAM que recebe em seu email?

19. Separe um dia por mês para não comprar nada:

Mais do que uma necessidade, consumir acaba virando um hábito e é aí que surge o perigo das compras por impulso. Para se prevenir disso, separe um dia por mês para não gastar absolutamente nada. Leve comida de casa para o trabalho, pegue uma carona e nada de cafezinho depois do almoço. Você verá que é, sim, possível viver sem gastar tanto.

20. Considere comprar coisas fora do Brasil:

É verdade que não é sempre que temos a oportunidade de viajar para o exterior, mas vira e mexe conhecemos alguém que vai para fora. Nessas ocasiões, se você estiver precisando de aparelhos eletrônicos, cosméticos ou roupas, vale considerar a possibilidade de comprar esses itens no exterior, que são bem mais baratos.

Veja mais: Você conhece a rede social que reúne pessoas que vão viajar e têm espaço na mala para trazer encomendas?

itemLAZER:

21. Aproveite mais os pequenos prazeres da vida:

Uma volta no parque, um cochilo na rede, um piquenique no jardim e um filme com pipoca em uma tarde chuvosa podem ser bem mais divertidos e recompensadores do que programas caros. Comece a valorizar mais as coisas simples da vida. Sua mente e seu bolso agradecem.

22. Use cupons:

A oferta de sites que oferecem cupons para restaurantes, programas culturais, viagens e tratamentos estéticos é enorme. Comece a frequentar portais para ficar a par das promoções e aproveitar as ofertas. Uma boa opção é o SaveMe, que reúne ofertas dos principais portais de cupons.

23.  Saia menos:

Você não precisa passar o fim de semana inteiro trancado em casa, mas se você costuma sair sexta, sábado e domingo, abrir mão da balada em um desses dias terá um grande impacto sobre suas finanças. Trocar o restaurante por um jantar no apê com os amigos também é uma boa pedida para gastar menos.

24.  Aprenda a dizer não:

Quantas vezes você já prometeu ficar em casa no fim de semana, mas acabou cedendo à pressão da turma para sair (e gastar demais)? Seja firme quando não quiser fazer alguma coisa. Quem for amigo de verdade irá entender.

25.  Troque a academia por uma caminhada ao ar livre:

Falta de dinheiro não é opção para deixar de fazer exercício. Poupe a mensalidade da academia criando o hábito de caminhar (ou passear com o cachorro) três vezes por semana.

26.  Viaje com milhas e busque alternativas aos hotéis:

Lembra o programa de recompensas do cartão de crédito? Uma ótima opção para resgatar os pontos é convertê-los em milhas para passagens aéreas.

Na hora de escolher a estadia, você também tem a opção de visitar sites que selecionam albergues e casas para alugar em diversas partes do mundo. Sua viagem vai sair bem mais barata. Boas dicas de portais com opções de estadia mais em conta são:

Couchsurfing.co 

Airbnb

Hostel world

27.  Não ignore os pequenos gastos:

Um cafezinho depois do almoço e o lanchinho da tarde não fazem diferença no seu orçamento, certo? Errado! Algumas pessoas acabam ignorando os pequenos gastos do dia-a-dia sem perceber que, muitas vezes, eles são os principais vilões do orçamento.

itemCASA:

28.  Aprenda alguns truques de decoração:

Você não precisa gastar horrores para deixar sua casa mais bonita. Hoje existem vários sites que trazem dicas para reaproveitar materiais e criar decorações gastando bem menos do que você imagina. Veja dois sites bacanas para se inspirar:

Madame Criativa

Minha Casa, Minha Cara

29.  Aprenda o básico da costura:

Saber pregar um botão ou fazer a barra de uma calça não é nenhum bicho de sete cabeças. Vale pedir ajuda para a tia e para a avó para aprender a se virar na costura e economizar no conserto das roupas.

30.  Prefira resolver as coisas sozinho em vez de contratar um serviço:

Será que você precisa mesmo de uma faxineira duas vezes por semana? Ou de um pintor para mudar a cor das paredes do seu quarto? Sempre que possível, procure fazer as coisas sozinho para não ter que gastar contratando alguém. Sem contar que, com uma boa música alta, essas atividades podem ficar bem mais divertidas.

31.  Evite comer fora:

Tem dias que não tem jeito, mas procure evitar as refeições fora de casa sempre que possível. Leve comida de casa para almoçar no trabalho de vez em quando e, no fim de semana, tente fazer sua própria pizza em casa em vez de usar o delivery.

32.  Pare de assinar jornais e revistas:

A internet está aí para isso. Você não precisa mais gastar com assinaturas para se manter bem informado.

prioridades financeiras

2º passo: Organizar suas prioridades financeiras

itemSE VOCÊ TEM DÍVIDAS:

33.  Foque em quitá-las:

Se você está endividado, sua primeira prioridade financeira deve ser quitá-las. Se conseguir pagar à vista, é preferível para conseguir um bom desconto nos juros. Se não, faça uma contraproposta aos credores para conseguir parcelas que caibam no seu orçamento. Caso esteja em modalidades caras de crédito, como cheque especial e rotativo do cartão de crédito, avalie pegar um empréstimo com juros menores, como o oferecido pelo Just. Com o dinheiro, você quita suas dívidas e passa a pagar menos juros.

Leia mais: Como sair das dívidas? 

34.  Concentre os vencimentos das parcelas no início do mês:

Assim, logo que seu salário cai, você já separa o valor necessário para pagar as dívidas antes mesmo de pensar em gastar com outra coisa.

35.  Poupe o que for possível:

Tudo bem que o ideal é guardar 15% da sua renda, mas se você está endividado dificilmente você conseguirá reservar esse valor para a poupança neste momento. O segredo então é poupar o que for possível até você conseguir se reestruturar: R$ 5 ou R$ 10, não importa. A grande sacada aqui é criar o hábito de poupar.

 

itemSE VOCÊ NÃO TEM DÍVIDAS:

36.  Crie uma meta de poupança mensal:

Sem dívidas, você deve poupar pelo menos 15% da sua renda todos os meses. Sem desculpas. Se achar difícil guardar, por exemplo, R$ 600 por mês, divida a meta por semana (R$ 150) ou até dia (R$ 20).

37.  Encare a poupança mensal como mais uma de suas despesas:

No dia em que seu salário cair, já mande para a poupança o valor que você se propôs a guardar. Imagine que sua poupança mensal é mais uma conta que tem vencimento e não pode deixar de ser paga.

38.  A cada compra não planejada, mande 10% para a poupança:

Uma boa forma de controlar os gastos não planejados é se propor a mandar 10% do valor que você gastar para poupança. Quer comprar um tênis de R$ 300? Então, você precisa ter R$ 330 na conta: R$ 300 para a compra e R$ 30 para a poupança. Assim vai ficar mais fácil se controlar.

39.  Recebeu um dinheiro extra? Guarde!

Créditos da nota fiscal paulista, restituição do imposto de renda e até 13º salário são recursos com os quais não contamos (ou não deveríamos contar) no dia-a-dia. Logo, não precisamos deles para nos manter. Assim que eles entrarem na conta, mande-os direto para poupança para não ter tempo de arrumar um pretexto para gastá-los.

40.  Crie uma reserva de emergência:

Seu primeiro objetivo financeiro deve ser criar um fundo de emergência para se prevenir contra as adversidades da vida. Seguindo as quatro dicas anteriores, você conseguirá juntar esse dinheiro mais rápido do que você imagina e estará pronto para galgar metas financeiras maiores.

Leia mais: Reserva financeira: 9 passos fáceis para construir a sua

41.  Faça um cofrinho:

Todos os dias, guarde todas as moedas da sua carteira em um cofrinho. Sem muito esforço, você terá mais um dinheirinho extra daqui a alguns meses.

gastos essenciais

3º passo: Rever seus gastos essenciais

42.  Não corte gastos com saúde:

Esse deve ser seu último gasto a ser revisado. Ter um bom plano de saúde e fazer check ups periódicos são práticas fundamentais para manter a qualidade de vida.

43. Compre medicamentos genéricos:

Eles são bem mais baratos do que os medicamentos que carregam as marcas dos grandes laboratórios. A dica é seguir o princípio ativo da receita do médico.

44. Apague a luz:

Uma prática supersimples que pode ajudar, e muito, a diminuir sua conta de energia elétrica.

45. Cultive uma pequena horta em casa:

Além de ser um passatempo interessante, você pode economizar na compra de verduras e temperos.

Leia mais: Confira um passo-a-passo para montar sua horta em casa

46. Faça compras no atacado:

Vale a pena comprar os produtos que você mais consome em casa em um atacado, que oferece preços bem mais convidativos que os supermercados. Só atente para a data de validade.

47. Compre um filtro de água:

Em vez de gastar com galões de água mineral, uma boa ideia é comprar um filtro de água. Há desde os modelos mais simples, como o de barro, até os purificadores de água, que filtram e gelam a água da torneira.

48. Seque a roupa no varal:

Nada de máquina de secar. Opte sempre por secar as roupas no varal para economizar energia.

49. Tenha um celular pré-pago:

Os planos pós-pagos não têm limites e acabam favorecendo gastos maiores no celular. Nos planos pré-pago e controle, quando os créditos acabam, você não consegue mais usar o celular a não ser que o carregue de novo. Se isso acontecer, você certamente vai maneirar mais da próxma vez.

50. Alimente-se bem:

Isso pode parecer uma dica de saúde, mas comer bem também faz bem para o seu bolso. Quem mantém uma alimentação saudável e equilibrada adoece menos e, logo, gasta menos no médico.

Fonte: https://blog.guiabolso.com.br/2014/09/19/50-dicas-para-aprender-como-economizar-dinheiro/

Separamos uma lista para você com os 10 melhores blogs do wordpress, acesse:
https://osadvogados.wordpress.com/2016/03/14/top-10-blogs-que-voce-precisa-conhecer/

Saiba mais sobre o Dr. Yves Patrick Pescatori Galendi, e envie um e-mail: yves@pescatorigalendi.com.br:
https://yvespatrick.wordpress.com/author/yvespatrick/

EU SOU ÁGUIA DO SENHOR, E VOCÊ? ACESSE:

https://yvespatrick.wordpress.com/2011/07/01/confie-em-deus-aguias-do-senhor-yves-patrick/

 

Posted in Uncategorized | Tagged , , , , , | Leave a comment

13 dicas para se concentrar na hora dos estudos

13 dicas para se concentrar na hora dos estudos

Por mais que você tente, está difícil fazer sua mente focar nos estudos? Veja as dicas de especialistas para resolver seu problema

13dicas

Nosso cérebro é meio fanfarrão: na hora de pensar em estratégias para aquele jogo complicado de videogame ou de ler aquela revista que você adora, ele coopera facilmente. Mas quando é preciso sentar e estudar um pouco, parece não haver jeito de alcançar a concentração.

Isso fica ainda mais desesperador quando estamos em ano de vestibular e não temos tempo a perder. Para ajudar você nisso, o GUIA DO ESTUDANTE conversou com especialistas e pediu dicas para ajudar seu cérebro a se concentrar. Como cada pessoa tem um jeito de funcionar, nem todas elas serão igualmente eficientes para todo mundo. Então é bom fazer uns testes até descobrir quais dão certo para você.

  • Não se contente em ler: escreva!

Segundo o professor e autor de livros com dicas para estudos Pierluigi Piazzi, é importante estudar escrevendo, e não só lendo. “Quem só lê perde a concentração. Quem escreve consegue entender o assunto e mantê-lo na mente”, explica ele.

  • Escreva à mão em vez de digitar

Pesquisas já mostraram que os alunos que fazem isso aprendem mais do que quem só digita. “Você tem movimentos totalmente distintos para escrever cada letra a mão, mas isso não existe quando você está digitando. Isso faz com que mais redes neurais sejam ativadas no processo da escrita”, diz o professor.

  • Como saber o que vale colocar no papel

Faça resumos, fichamentos e esquemas da matéria. Mas nada de ficar copiando todo o conteúdo dos livros. Para saber o que vale escrever, faça de conta que você está preparando uma cola para uma prova. Por ter pouco espaço e pouco tempo para consulta-la, é preciso ser conciso, mas ao mesmo tempo abordar os pontos principais. É disso que você precisa quando for estudar.

  • Revise a matéria que aprendeu em aula no mesmo dia

Além de evitar acumular matérias, estudar o conteúdo visto em sala de aula no mesmo dia fará com que seu cérebro entenda que aquilo é importante e o memorize.

  • Estude sozinho

Vamos combinar que, por mais legal que seja se reunir com os amigos para estudar, você acaba falando mais de outras coisas e as dúvidas permanecem. O professor Pierluigi é um grande defensor da ideia de que só se aprende mesmo no estudo solitário. “Estudar em grupo é útil se você for a pessoa que explica a matéria para os outros. Quem ouve não aproveita”, diz ele. A melhor dica para um bom estudo, aliás, e explicar a matéria para si mesmo.

  • Use as aulas para entender as matérias e tirar dúvidas

Um erro comum, segundo o professor Pierluigi, é fazer dois cursinhos para ter um maior numero de aulas – o que realmente vai fazer diferença no vestibular é o momento em que você estuda sozinho, não o número de aulas que pegou. Mas isso não significa que vale cabular ou dormir nas aulas: elas são importantes para entender a matéria e tirar dúvidas.

  • Desligue todos os aparelhos eletrônicos

Na hora de estudar, nada de deixar o celular por perto avisando você de cada notificação no Facebook. E nem caia na tentação de abrir o Facebook só por “dois minutinhos”. Esses dois minutinhos sempre se estendem e acabam com toda a sua concentração. Reserve um tempinho do seu dia só para as redes sociais e faça isso virar rotina para que se acostume a checá-la apenas nesse tempo específico.

  • Estude em um local organizado e tranquilo

O resto da sua casa até pode ser uma bagunça, mas o local onde você costuma estudar precisa estar sempre organizado e silencioso. Ter muitas coisas espalhadas pode atrapalhar a sua concentração e há o risco de perder tempo procurando coisas que sumiram na bagunça.

  • Música? Só em línguas que você não entenda

Não é proibido estudar ouvindo música – há quem precise dela para se concentrar. Mas evite ouvir músicas em idiomas que você entenda – isso pode fazer com que você desvie sua atenção para a letra e esqueça a matéria.

  • Use marca-texto

Usar canetas coloridas e marca-texto para enfatizar os pontos principais é uma boa ajuda para manter o foco no que for importante, especialmente se você tem problemas mais sérios de déficit de atenção. Post-its também podem ser úteis.

  • Respeite seu tempo

Se você é mais produtivo de manhã, deixe para estudar as matérias mais difíceis nesse período. Quando sentir que a concentração não está rolando de jeito nenhum, faça uma pequena parada e depois volte. Manter intervalos regulares é fundamental – e a frequência vai depender do seu ritmo.

  • Tenha uma programação organizada, mas seja flexível

Use uma agenda ou quadro branco para organizar suas tarefas e respeite-a! Mas faça programações realistas para que você não se desanime. Definir que você vai estudar durante oito horas por dia se você tem várias outras atividades, por exemplo, não é algo razoável. E esteja aberto para mudanças, caso seja necessário.

  • Crie um pequeno ritual antes de estudar

Sempre que for mergulhar nos estudos, crie e respeite um ritualzinho antes. Pode ser um alongamento, pegar um copo de suco para deixar na sua mesa, ou que mais achar melhor. Com o tempo, seu cérebro vai entender que é hora dos estudos e ficará mais fácil se concentrar.

Bônus: Quer acessar a lista com os 10 melhores blogs do WordPress?
Acesse: https://osadvogados.wordpress.com/tag/melhores-blogs-juridicos/

Quando a dificuldade de concentração é crônica
Às vezes, a falta de atenção pode ser crônica e estar associada ao Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH). “Todo mundo pode ser os sintomas, mas não o TDAH de fato. O que conta é chama é a persistência e o prejuízo que isso traz para as pessoas do ponto de vista educacional (como evasão e não conclusão dos estudos) e sociais (dificuldade de inserção no mercado de trabalho, inadaptação social etc.)”, explica Cláudia Machado Siqueira, neuropediatra e coordenadora do Laboratório de Estudos dos Transtornos de Aprendizagem (LETRA) do Hospital das Clínicas da UFMG.

Os sintomas do TDAH, tanto de desatenção quanto de hiperatividade, aparecem por volta dos 3 a 7 anos de idade. Na vida adulta, o que fica geralmente é a dificuldade de se concentrar na metade dos casos – a hiperatividade diminui. Pesquisas apontam fatores genéticos e neurológicos como as principais causas prováveis do problema, embora fatores sociais possam contribuir no desenvolvimento de problemas associados.

Nesse caso, é necessário procurar um especialista. “O problema não tem cura, porque é o jeito como seu cérebro funciona”, explica Cláudia Siqueira. Mas existe tratamento, geralmente feito com medicamentos e com a chamada terapia cognitivo comportamental (um segmento da psicologia que ajuda a criar estratégias para ajudar a pessoa na organização, planejamento e cumprimento de tarefas e objetivos, como as que a gente listou aqui).

Será que você tem TDAH? Faça o teste

Fonte:http://guiadoestudante.abril.com.br/universidades/13-dicas-para-se-concentrar-na-hora-dos-estudos/

Posted in Uncategorized | Tagged , , , , , , | Leave a comment

Cinco dicas de gestão de tempo para desacelerar a rotina do advogado

O advogado precisa conciliar a vida profissional com a vida pessoal e organizar bem o seu dia para não perder o prazo de processos ou esquecer outras tarefas.

Ah, quase me esqueço. Não perca essa lista com os 10 melhores blogs informativos dos do WordPress (Consumidor, Deficientes, Defesa da Mulher, Família Carcerária, Contos e casos e muito mais: http://bit.ly/2dZIwlS

Análise de processos, estudos de tese, atendimentos aos clientes, visita ao Foro para audiências e reuniões no escritório são algumas das atividades da rotina de um advogado. Para dar conta de todas essas tarefas e ainda enfrentar o engarrafamento no trânsito e filas para autenticações de documentos e processos, só sendo um expert em gestão de tempo. Além disso, o advogado ainda precisa conciliar a vida profissional com a vida pessoal e organizar bem o seu dia para não perder o prazo de processos ou esquecer outras tarefas.

5-dicas-para-melhorar-sua-gestao-do-tempo-como-advogado18236Separamos algumas boas práticas para melhorar a gestão de tempo e fazer o dia do advogado render muito mais. Acompanhe abaixo:

Gestão de tempo para advogados em 5 passos

1 – Tenha uma agenda organizada e compartilhada com sua equipe
O primeiro passo para melhorar a gestão de tempo é fazer da agenda a sua principal aliada. Você pode utilizar agenda de papel, mas uma boa prática é usar uma versão online que permita o compartilhamento das atividades com os outros advogados do escritório. Assim, toda a equipe consegue visualizar quais os seus compromissos e pode entrar em contato com os clientes quando houver algum atraso. Além disso, se todos os advogados e colaboradores utilizam uma agenda compartilhada, é possível que cada membro organize seus horários de acordo com o planejamento do escritório.

Para criar uma agenda compartilhada você pode utilizar ferramentas gratuitas, como o Google Agenda,

ou contratar um software jurídico que também tenha essa função: o SAJ ADV, por exemplo, permite a visualização da agenda diária, semanal ou mensal e ainda envia notificações de prazos, tarefas a serem executadas, audiências e reuniões com clientes. Também é possível realizar o registro de compromissos pessoais, tudo em um único local, facilitando a organização e o seu compromisso com as atividades.

2 – Seja pontual em todos os compromissos do dia
Prezar pela pontualidade em todos os compromissos, sejam eles pessoais ou profissionais é o segundo passo para uma boa gestão de tempo. Embora seja complicado estabelecer um horário fixo para todas as tarefas do dia, principalmente pelo fato de cada processo ter suas particularidades e que é difícil determinar quanto tempo vai durar um atendimento ao cliente, por exemplo. Mas, uma boa prática para melhorar essa questão é estipular um tempo médio para reuniões e atendimentos aos clientes. E nem precisa ficar olhando no relógio a cada 15 minutos, pois já existem aplicativos que podem lhe auxiliar nessa tarefa.

3 – Estabeleça prioridades criando lista de tarefas
Já o terceiro passo para melhorar gestão de tempo para advogados, e talvez a mais importante delas, é estabelecer prioridades. Na hora de anotar os compromissos em sua agenda, seja ela a pessoal ou a compartilhada, insira suas atividades por ordem de importância. Dessa forma fica mais fácil se concentrar primeiro no que é mais urgente e depois que as atividades prioritárias forem executadas, você pode passar para a próxima tarefa sem se preocupar por ter deixado algo inadiável pela metade. Você pode também reservar um tempo diário para planejar uma rotina mais produtiva e apostar na utilização de aplicativos e soluções, como o SAJ ADV, que permite a organização e visualização dos compromissos em formato de calendário diário, semanal ou mensal.
Mas lembre-se de inserir em sua lista diária, apenas metas que possam ser executadas. Não existe nada mais frustrante para quem quer se organizar para aumentar a produtividade do que chegar ao fim do expediente e ter resolvido apenas metade da demanda planejada para aquele dia. Mantenha os pés no chão e somente inclua na agenda tarefas que possam ser desenvolvidas ao longo de um dia. Se sobrar tempo, você pode começar outras atividades e a sensação de que não cumpriu com as metas desaparece.

4 – Realize uma atividade por vez
Não responda emails enquanto estuda uma tese. Concentre-se em uma atividade por vez, pois a ideia de ser um profissional multitarefas não contribui para a o aumento da produtividade, muito pelo contrário, torna a pessoa mais dispersa. Quando são executadas mais de uma atividade por vez, o cérebro coloca sua atenção em apenas uma das coisas, mas muda o foco entre as atividades de vez em quando, o que faz com que o profissional pule de uma demanda para outra.

5 – Descanse e cultive um hobby
Outro passo importante para melhorar a gestão de tempo é ter um momento em que você se dedica a fazer uma atividade que gosta. Pode ser praticar um esporte, ler um livro ou uma simples ida ao cinema. Uma pausa ao longo do dia é fundamental para manter o ânimo e renovar as energias para a rotina de trabalho. Além disso, é importante dormir bem e estar descansado para conseguir executar as tarefas com mais agilidade e qualidade no dia seguinte.

___________________

*Luciano Martins é project owner do SAJ ADV – Software Jurídico.

Fonte: http://www.migalhas.com.br/dePeso/16,MI247269,101048-Cinco+dicas+de+gestao+de+tempo+para+desacelerar+a+rotina+do+advogado

Posted in Uncategorized | Tagged , , , , , , , , , , , | Leave a comment

7 dicas para você economizar dinheiro no dia a dia!

dicas-para-economizar-dinheiroGastar de maneira descontrolada nas pequenas coisas do dia a dia pode não deixar que você preste atenção no quanto você gasta à toa ao final do mês. Economizar pode ser ótimo, de forma que você tenha recursos para enfrentar períodos mais difíceis ou tenha conforto no futuro. Você já passou por problemas financeiros por ter gastado demais e teve que recorrer aos empréstimos bancários ou se apertar por alguns meses? Que tal saber como poderia economizar em seu dia a dia para não ter mais esses contratempos?

Saiba bem o nível de sua renda familiar

Este volume de dinheiro corresponde à soma dos rendimentos que todos da família recebem. Saber qual é a renda da família vai ser importante para que se estabeleça um limite de gastos a cada mês, o qual nunca poderá ser maior do que essa estimativa.

Anote tudo em que gasta seus recursos

Há pelo menos duas razões importantes para fazer isso. A primeira, é que você será capaz de notar se está gastando mais do que recebe. Ou seja, você vai entender se está ou não respeitando uma das mais relevantes regras financeiras: o dinheiro que entra no seu orçamento sempre deve ser maior do que sai. Outro ponto é que você poderá observar bem as despesas do mês, separando-as por tipos e contas.

Corte ou diminua as despesas desnecessárias

A man doing his taxes using a calculator and pencil on a white backgroundJá que você tem tudo anotado e vai perceber todos os seus gastos e obrigações, vai conseguir identificar onde há despesas de forma excessiva ou pouco necessária. Corte ou diminua aquelas que não forem fazer tanta falta. Analise com cuidado com sua família para ver o que pode ser reduzido.

Guarde uma reserva de capital

Uma coisa muito importante para ser feita é guardar parte do dinheiro recebido em uma renda fixa, a fim de ter recursos no futuro, nas ocasiões de emergência ou necessidade. Ter dinheiro guardado pode ser útil no caso de perder um emprego ou de doença na família, por exemplo. Ser precavido é algo que pode valer ouro!

Analise bem as formas de pagamento

Muitos produtos e serviços são oferecidos com desconto para os pagamentos à vista. Tente utilizar o pagamento em espécie sempre que puder, pois isso ajuda a entender com precisão o quanto está sendo gasto, controlando melhor as contas. Se for realmente necessário dividir as compras com seus cartões de crédito, nunca se esqueça de considerar as parcelas vindouras nos orçamentos dos outros meses.

Use um programa financeiro online

Cada vez mais é possível usar a tecnologia para melhorar a vida cotidiana. Com um software voltado para as finanças, você poderá controlar todos os fluxos que seu dinheiro faz, vendo onde mais gasta e estabelecendo limites mensais de consumo.

Texto com edições do Dr. Yves Patrick Pescatori Galendi. Para enviar uma pergunta ou comentário, envie um e-mail direto ao Dr. Yves! Email: yves@pescatorigalendi.com.br

Fonte:http://www.quickbooks.com.br/r/mei/dicas-economizar-dinheiro/

Posted in Uncategorized | Tagged , , , , , , , , , , , , , , | Leave a comment